O poder do reconhecimento

A investigação é unânime: o reconhecimento por parte do líder é um poderoso multiplicador do desempenho individual e organizacional. Todos os indicadores – satisfação, comprometimento, produtividade, absentismo, retenção, satisfação dos clientes, etc. – disparam quando os líderes reconhecem regularmente o contributo de cada trabalhador. Infelizmente, muitos líderes ainda acreditam que as recompensas materiais são o único fator que influencia o ler mais…

Liderança e exemplo

Numa aula recente, discutia com os alunos a importância de o líder de uma equipa manter um diálogo contínuo com os seus colaboradores, com frequentes momentos de feedback informal para assegurar o seu comprometimento, orientar e otimizar o seu desempenho e promover o seu desenvolvimento, em contraste com o tradicional e obsolescente processo de “avaliação do desempenho” baseado em sessões ler mais…

Liderança e iniciativa

Na generalidade dos sectores de atividade, os líderes atuam num ambiente em permanente evolução, que os confronta constantemente com cada vez mais “problemas sem dono” – aqueles que, por não terem sido previstos, não se enquadram nas atribuições de nenhuma função ou departamento. As organizações convencionais, estruturadas por áreas funcionais, com delimitações precisas de responsabilidade, não estão equipadas para lidar ler mais…

Que tal falarmos de Seguidança?

“Aquele que nunca aprendeu a obedecer não pode ser um bom comandante”. Esta afirmação de Aristóteles, o filósofo grego cujas ideias mais influenciaram o pensamento ocidental, dá-nos o mote para o tema deste texto: a “seguidança”, um neologismo que foi preciso inventar para traduzir followership, por contraponto à liderança ou leadership. Em contraste com a abundantíssima literatura sobre esta última, ler mais…

Teletrabalho, liderança e confiança: o exemplo tem de vir de cima

Num anterior artigo intitulado “O teletrabalho e o isolamento dos chefes” (LM 175) chamei a atenção para a incompatibilidade entre o teletrabalho e a cultura de “presentismo” que ainda impera em muitas organizações, brincando com a hipótese de os propalados receios em relação ao isolamento dos trabalhadores remotos fosse, na realidade, a expressão do temor de solidão dos próprios chefes, ler mais…

O teletrabalho e o isolamento dos chefes

Muita da abundante literatura recentemente produzida sobre o teletrabalho, estimulada pelas condições particulares criadas pela pandemia de Covid-19, focaliza-se no problema do isolamento do trabalhador, chamando a atenção para os riscos da solidão e do isolamento a que está remetido no seu domicílio, privado do contacto com os colegas e as chefias. Desde logo, esta noção parte de uma premissa ler mais…