A importância da criação de Valor Agregado vs a extinção do Muda

Ao longo de vários projetos deparamo-nos com a intensificação e propagação da necessidade de criar mais Valor Agregado extinguindo o “Muda”. Apenas desta forma conseguimos executar o serviço com um preço adequado e competitivo face a todos os outros produtos e serviços substitutos. A palavra japonesa “Muda” significa desperdício. Desperdício esse que se verifica ao longo de toda a cadeia ler mais…

Criar Foco e Soluções através de Parcerias

Num mercado cada vez mais competitivo na angariação de talento, sentimos que as empresas têm dificuldade em focar-se nas prioridades do negócio core, pois constantemente estão a redefinir modelos organizacionais para dar resposta às necessidades das suas operações correntes. A flexibilidade que é exigida na resposta aos seus clientes implica mudanças constantes e com a falta de talento ou de ler mais…

Desafio ao Senso Comum | Capítulo III

Antes de pensarmos na aplicação da qualquer metodologia como nosso foco devemos pautar pela criação de uma boa dose de estabilidade básica por forma a iniciar de uma forma saudável e sustentada o nosso modelo de implementação. Existem diversas ferramentas que potenciarão o desenvolvimento da operação, tais como o 5S, gestão visual, padronização, entre outros. Contudo deveremos começar pelo pilar ler mais…

Desafio ao senso comum, Lean | Capítulo II

Cresce a perceção que a excelência alcançada pelas empresas japonesas e orientais se deve ao desenvolvimento de teorias e ferramentas que alavancam princípios de qualidade, produtividade e controlo de custo. Estudar um pouco do Sistema Toyota de produção leva-nos a um paradoxo corporativo que continua distante de algumas realidades no panorama nacional. A constante ambição por desafios eleva a fasquia ler mais…

Simplexity. The Art of Smart Solutions

A mudança de paradigma que para as empresas supôs a transformação digital exige a integração de novos procedimentos que lhes permitam preservar o seu presente e futuro. Uma renovação complexa que a Linde Material Handling consegue tornar simples através do seu conceito “Simplexity. A arte das soluções inteligentes.” Onde começa a transformação 4.0? A partir de quando o utilizador compra ler mais…

Desafio ao senso comum, Lean | Capitulo I

Apesar da aparente obviedade e simplicidade poderá não ser fácil entender o Sistema Lean numa primeira abordagem. Um dos motivos mais fascinantes, que leva a essas dificuldades de compreensão, é a existência de uma série de paradoxos que questionam o chamado “senso comum”. Alguns desses paradoxos, baseiam-se nos seguintes pontos: Criação de lotes parece melhor face a fluxo unitário. A ler mais…

Linde cria APP de gestão de frota

A Linde Material Handling criou a App Linde Service Manager, uma aplicação que permite, entre outras funcionalidades, estar em contacto com o Serviço Técnico da Linde e conhecer em qualquer momento o estado dos equipamentos, através dos dispositivos móveis e do computador. Esta aplicação permite aos gestores de frota, manterem-se informados acerca do estado da sua frota de empilhadores. Com ler mais…

Em busca do parceiro ideal

A configuração de conceitos, métodos e técnicas aplicadas a processos de produção, acarreta uma série de pressupostos e obrigações no que diz respeito a atividades de planeamento e assertividade de forecast. Planear e dimensionar equipas de outsourcing deverá obedecer a desvios perfeitamente identificados, existindo a necessidade de lutar pela conquista de desvios inferiores a dois dígitos. De que forma podemos ler mais…

A “regra de ouro”

Encontramos na literatura inúmeras definições de liderança. Apesar de divergirem, em maior ou menor medida, encontramos nelas algo em comum: o fato de a liderança ser um processo de influência de líderes sobre liderados. Outra ideia, que decorre das teorias de liderança, é que este “poder de influenciar” não deve ser conferido pela organização mas antes, “ganho” perante os colaboradores, ler mais…

Eficácia e produtividade fundamentais para criar Great Place To Work

Eficácia e produtividade são uma preocupação de todos os gestores desde sempre, contudo, ganhou novos contornos e maior magnitude nos últimos 5 anos. A recessão durante a troika foi bem profunda, com a economia portuguesa a sofrer uma recessão de 4% em 2012, o valor mais alto dos últimos 40 anos, e de 1,6% em 2013. As empresas foram obrigadas ler mais…