“Queremos ser a referência nacional para qualquer retalhista de pneus “

A Continental Pneus Portugal (CPP) viu em 2016 o seu resultado líquido crescer 14% ultrapassando a fasquia de um milhão de euros. Em termos de vendas, o ano de 2016 registou o segundo melhor resultado de sempre da empresa no mercado nacional – cerca de 67.4 milhões de euros -, não obstante ter-se verificado uma ligeira descida de cerca de 6% face a 2015, ano em que a Continental vendeu mais de 71 milhões de euros.

Pedro Teixeira, director-geral da Continental Pneus, explica esta ligeira descida “pela redução na venda de pneus para equipamento de origem para o nosso principal cliente nacional que se encontra em fase de adaptação de ciclos de produto”.

Em termos estratégicos e de abordagem ao mercado, a Continental Pneus Portugal manteve a dinâmica comercial necessária para corresponder às tendências e necessidades do mercado. “Estamos cada vez mais conscientes da importância de ter uma presença activa em toda a nossa cadeia de valor, desde o tradicional retalhista, passando pelos diversos segmentos de clientes profissionais, até ao consumidor final”, refere Pedro Teixeira.

No que se refere à performance no mercado de pneus pesados, a Continental teve um desempenho bastante positivo. Em produtos de camião, registou um aumento global de 12% na faturação face a 2015. “A estratégia da marca Continental consolidou-se ainda mais na abordagem cada vez mais profissional ao mercado, acompanhada de uma focalização muito forte no estreitamento de relações com as frotas, bem como uma forte aposta na rede Conti 360º”, destaca o responsável pela Continental.

Os pneus industriais tiveram um ano excelente em termos de vendas, mantendo os mesmos níveis de facturação de 2016. A Continental considera que 2017 será um ano desafiante para esta divisão com a introdução de novos segmentos de negócios como é o caso de Earth Moving que obteve nos primeiros testes realizados no ano passado uma excelente recetividade do mercado.

No tocante ao retalho, a Continental Pneus continuou a forte aposta no desenvolvimento da sua rede de parceiros ContiService, que conta actualmente com 79 pontos de venda e que já permite ter uma representatividade geográfica em Portugal Continental e Ilhas. “Este projecto reforça a presença da Continental no mercado. Desenvolvemos e apoiamos os nossos parceiros na implementação de ferramentas de negócio adaptadas às suas necessidades, conferindo-lhe maior visibilidade junto do consumidor final e potenciando a dinamização e exploração do seu negócio”, destaca Pedro Teixeira.

Os factores decisivos para o sucesso da empresa no mercado nacional foram, segundo o responsável pela empresa, “o empenho e a dedicação da equipa; a coerência na estratégia da presença activa nos diferentes canais de venda em toda a cadeia de negócio, com vista a dar continuidade à criação de valor acrescentado para todos os intervenientes, com destaque para o consumidor final e para os agentes”, refere Pedro Teixeira.

De acordo com os dados do sector, o ano de 2016 registou um desempenho positivo na venda de pneus ligeiros em Portugal, face a 2015, na ordem dos 4,6%.

Entre 2012 e 2016 registou-se um crescimento de 38% na venda de pneus desta categoria. As segundas marcas têm aumentado o seu peso e grau de importância no volume total de vendas, alcançando em 2016, praticamente o mesmo peso das marcas premium.

De destacar a evolução nos últimos anos da venda de pneus com jante igual ou superior a 17” (UHP – Ultra High Performance) que tem vindo a transformar este segmento numa importante fatia de negócio para todas as marcas a operar em Portugal. Os pneus UHP representaram em 2016 mais de 29% do mercado total de ligeiros em Portugal. De referir que a Continental lidera também a venda deste segmento em Portugal.

Para Pedro Teixeira “o mercado de pneus em Portugal encontra-se num estágio de maturidade e estabilização no que respeita ao seu volume acompanhado por um aumento contínuo de operadores”, explica.

Relativamente ao mercado de pneus para veículos comerciais pesados, em 2016, manteve-se a tendência de recuperação verificada desde 2013, evoluindo favoravelmente 4,5% face ao ano anterior ficando, ainda assim, cerca de 10% aquém do ano de 2010, ano de profunda viragem neste mercado.

O comportamento do mercado de pneus pesados foi novamente influenciado pela entrada de novos camiões e reboques no mercado nacional. As exigências da nova norma Euro 6, aliada a condições de financiamento muito agressivas dos principais fabricantes de camiões e reboques, juros baixos e uma maior eficiência das viaturas novas, fez com que as principais frotas continuassem uma renovação substancial do seu parque.

Tendo em conta o crescimento acentuado verificado nos últimos quatro anos no mercado de pneus ligeiros e pesados – 38% e 18,5% respetivamente – e tendo em conta os indicadores que a empresa dispõe, a Continental espera um crescimento de cerca de 1,5% em ligeiros e pesados. Contudo, no que se refere ao mercado de ligeiros, o crescimento do segmento UHP (Ultra High Performance – jantes 17” ou superiores) espera-se que seja mais acelerado.

No mercado de ligeiros, a Continental mantém para 2017 como principal objectivo a consolidação da sua posição de liderança no mercado nacional. “Apresentamo-nos ao mercado com uma solução diferenciada e equilibrada para cada tipo de canal de distribuição – distribuidores, retalho, concessionários autocenters e redes -. Queremos continuar a ser o parceiro de referência no mercado”, adianta o Director Geral da Continental Pneus

No segmento dos pneus industriais (Specialty Tires) “existem alguns indicadores positivos de desenvolvimento ligados à actividade industrial da distribuição, logística e ao aumento das actividades de portos e aeroportos que nos permitem acreditar num desenvolvimento muito positivo desta área de negócio. Com o desafio acrescido na medida em que teremos novos produtos neste segmento, nomeadamente nos pneus de engenharia civil”, esclarece Pedro Teixeira.

Outra aposta para 2017, a par com a consolidação da actual posição de liderança, passa pelo crescimento estruturado da rede ContiService que conta atualmente com 79 pontos de venda. “Queremos ser a referência nacional para qualquer retalhista de pneus que procure um conceito que lhe proporcione soluções com valor acrescentado”, refere o responsável pela Continental.

Na área de pneus pesados, a estratégia da Continental para 2017 passa por manter a dinamização do contacto directo com as frotas e a consolidação da sua rede de parceiros Conti 360º.

 

 

 

Partilhar este artigo...Share on Facebook0Share on LinkedIn0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Print this pageEmail this to someone