Avião cargueiro liga Madeira à Europa

O consórcio responsável pela operação do avião cargueiro entre Lisboa e o Funchal, que realizou ontem, dia 25, o voo inaugural, anunciou que vai estabelecer acordos com outras companhias aéreas para colocar os produtos madeirenses em vários mercados europeus, segundo avança a agência Lusa.
“Não é um voo entre o Funchal e Lisboa. É um voo entre o Funchal e o continente europeu”, realçou António Beirão, da ALS, uma das empresas que constituem o consórcio Madeira Air Integrated Solutions (MAIS), juntamente com a companhia aérea espanhola Swiftair e a empresa logística madeirense Loginsular.
António Beirão falava aos jornalistas no Aeroporto Internacional da Madeira Cristiano Ronaldo, em Santa Cruz, onde o avião cargueiro aterrou com uma hora de atraso, às 09:30, sendo o primeiro a fazê-lo desde segunda-feira, devido aos ventos fortes que estão a condicionar as operações aeroportuárias.
O responsável disse que a Swiftair já está a estabelecer acordos com outras companhias, para que, depois de Lisboa, possa haver as “melhores ligações” com o resto da Europa, para onde serão exportados produtos regionais como pescado, carne, flores e frutos.
O avião tem capacidade para transportar oito toneladas e a operação está programada para decorrer de terça a sábado, com chegada ao Funchal às 08:30 e partida para Lisboa às 14:15, sendo que o custo de transporte ronda um euro por quilo.
“Este consórcio foi constituído à margem de toda a ajuda pública”, realçou o mesmo responsável, salientando que não consta do plano, nos próximos três anos, “qualquer intervenção e qualquer ajuda pública”.
No voo inaugural da Swiftair, o avião transportou carga inferior a metade da sua capacidade, destinada aos CTT – Correios de Portugal e a empresas dos ramos comercial e industrial.
“Espero que os empresários aproveitem estas condições excecionais, que é termos um avião cargueiro”, disse o secretário regional da Agricultura e Pescas, Humberto Vasconcelos, sublinhando a importância sobretudo para o sector da aquacultura, onde a produção deverá atingir em breve as 3.500 toneladas anuais.

Partilhar este artigo...Share on Facebook0Share on LinkedIn2Tweet about this on TwitterShare on Google+0Print this pageEmail this to someone