Grupo ETE reforça presença em Cabo Verde

O grupo ETE, fundado em 1936 e que já serve Cabo Verde há mais de 29 anos via o seu armador Transinsular, acaba de anunciar que pretende reforçar significativamente a presença naquele país e os novos investimentos que acaba de concretizar.

Luís Mira de Oliveira, administrador do grupo, com o pelouro de Cabo Verde revela “ acabei de sair de uma reunião com os responsáveis do Governo, na qual reiterei que estamos empenhados em apostar e investir no país, dando o nosso contributo para a afirmação de Cabo Verde como o hub para a África Ocidental. Por isso, apresentei a nossa disponibilidade para construir em conjunto soluções que congregam uma visão integrada e estruturante da operação portuária, do transporte marítimo Inter-ilhas e Regional, da logística e da construção naval.”

No que à operação Portuária diz respeito, o grupo está a concluir a constituição da empresa “ETE Cabo Verde – Operações Portuárias, Lda”, visando apresentar uma proposta para a gestão dos Portos da Praia, Mindelo, Palmeira e Sal Rei – seja em regime de concorrência, consórcio ou com base em outro modelo a definir pelo Governo de Cabo Verde -, que seja vantajosa para ambas as partes.

O Grupo acabou de constituir a “Transinsular Cabo Verde – Transportes Marítimos Insulares de Cabo Verde, Lda”, uma sociedade armadora de direito Cabo Verdiano.

Adicionalmente, está a ultimar o processo de passagem de um dos seus navios (Ponta do Sol) para este novo armador, o qual será operado sob bandeira de Cabo Verde. Este é um navio certificado e classificado com standards internacionais e que cumpre todos os requisitos para navegar em águas internacionais.

O grupo está disponível para transferir para a CABNAVE o seu conhecimento neste sector e assim contribuir para o desenvolvimento da empresa.

Luís Mira de Oliveira, esclarece “também já manifestámos aos Ministros das Finanças e da Economia que, continuamos totalmente interessados e empenhados na concessão da CABNAVE, – ou em outro modelo de parceria público-privada que vier a ser decidida pelo Governo -, um setor fundamental de suporte à afirmação de Cabo Verde na região Atlântica.”

O seu armador Transinsular oferece, desde 1 de Outubro de 2017, o serviço África Expresso, assumindo-se com o único serviço regular directo (sem transbordo) com frequência a cada 10 dias, desde Portugal (Leixões e Lisboa) /Canárias para a Praia, Mindelo, Sal e Boavista; ter o menor Transit-time do mercado – Portugal/Cabo Verde em 5 dias; ser a solução de exportação marítima mais rápida para produtos oriundos de Espanha para Cabo Verde – seja da Galiza via Leixões, ou de outras origens via Las Palmas e o único a oferecer ligação regular directa entre Portugal, Sal e Boavista

Miguel Paiva Gomes, CEO da Transinsular, destaca “o serviço África Expresso optimiza tanto as soluções de transporte de mercadorias para Cabo Verde originárias de Portugal e Espanha, como para a Guiné-Bissau, Mauritânia e Canárias. Para além disso, consolida a posição da Transinsular como parceiro preferencial na exportação de peixe para a Europa, garantindo ainda a ligação entre aqueles mercados e o Norte da Europa, Báltico, Mediterrâneo e Ásia, entre outros. “

O Grupo quer apresentar uma proposta para o transporte marítimo de carga Inter-Ilhas que entregue aos agentes económicos, competitividade, regularidade, flexibilidade e confiabilidade, e seja promotora de adequadas soluções logísticas alinhadas com a intermodalidade e capazes de contribuir para o desenvolvimento das economias locais.

 

Luís Mira de Oliveira declara “queremos firmar um compromisso de longo prazo para a prestação do serviço Inter-ilhas. Estamos convictos que oserviço Africa Expresso, prestado pelo nosso armador Transinsular, tem a mais-valia de poder potenciar o Inter-ilhas e, consequentemente, impulsionar as trocas comerciais entre as diversas ilhas, beneficiando de soluções economicamente-eficientes, à medida das necessidades de cada cliente, de cada mercado e das suas comunidades.”

E acrescenta, “apesar do core da nossa operação de transporte marítimo ser a carga, estamos disponíveis para, se necessário, construir uma solução em parceria com outros players. Em Portugal, já participamos em soluções de transporte de passageiros, de que é exemplo a gestão e operação do Ferry em Aveiro.”

 

Partilhar este artigo...Share on Facebook0Share on LinkedIn0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Print this pageEmail this to someone